segunda-feira, novembro 26, 2007

A festa parecia próspera

A festa parecia próspera

Tomei café com Einstein
Mandei bilhete com coleópteros para Darwin,
Expliquei a Mendel sobre sorte e ele não entendeu
Gauss disse que eu era muito complexo
Descartes afirmou que eu existia e era o que importava
Pitágoras concordou falando que eu era um dos muitos números 2
Fiquei confuso ao passo que Pascal disse “é isso mesmo jovem triângulo”
Vandermonde começou a implicar com Ruffini
Bháskara disse que a discussão chegaria ao zero e todos se calaram
Comecei a falar com Heinsenberg e aplaudi seu súbito sumiço

Do nada surge Critilo dizendo que havia uma carta e um embrulho para mim na entrada
Newton me acompanhou e riu quando um rapaz do Movimento Uniforme passou correndo
Entrei com o pacote a tempo de ver Young tentar transpor duas portas ao mesmo tempo
Abri a caixa: Hooke me mandou um aparelho e uma garrafa de vinho
Pediu para colocar a rolha nele e observar
Watson e Crick não deixaram
E logo tornaram o líquido em taças com desenhos de hélice
Sócrates gritou de longe “cuidado com o que bebe!”
Osvaldo Cruz completou: “verdade, olha o botulismo!”

Snell chegou reclamando que as janelas eram opacas demais
E Ampére ligou as luzes
Depois com Tesla e Thomas Edison
Joguei sinuca
A maioria das tacadas foi violentamente elástica

Já tarde, Camões contou-me sua heróica aventura de sua casa até a festa
Vieira, que ouviu tudo, aplicou grande sermão
Machado, que tinha ido ao banheiro, se envergonhou ao ver quem sentava em sua cadeira
Repentinamente Marx me chamou para ver “algo impensável”:
Napoleão, Vitória e Otto conversavam como velhos amigos
Quando notaram-nos olhando começaram a brigar
Durkheim sorriu e foi à mesa de canapés
No fim, acompanhei Catarina até o carro por conselho de Byron
Quando eu ia embora Tutankhamon repetiu o que disse a todos “se beber não dirija”

No dia seguinte levantei esperançoso
Fiz o possível,
mas não creio na vitória.

É, a festa parecia próspera, mas não foi.

P.S.: João Cabral ouviu falar desse texto e me mandou catar feijão
--
Não pergunte. =P

4 Comments:

At novembro 28, 2007 1:47 AM, Blogger Normal do Rócio said...

Se não pode perguntar só vou falar o que eu acho: que sonho maluco!

 
At dezembro 05, 2007 8:43 PM, Blogger *Renata Costa* said...

Você anda lendo/ estudando demaaaaaaaaaisssssss

 
At dezembro 27, 2007 12:37 PM, Blogger o Cronista said...

mtooo bom!
mto criativo e bem montado!
é bom passear pela historia e com grandes genios....
imagino q realmente foi um banquete!

 
At maio 28, 2013 2:12 PM, Blogger Jorge Ramiro said...

Acho que o mais importante neste contexto é o que Habermas diz sobre o capitalismo. Eu sou um sociólogo e é isso sobre o que eu sou mais apaixonado, trabalho fazendo estudos de marketing de várias empresas, como a Eukanuba, Tubline, whiskas.

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home